Maestro

 

maestro_perfilNatural de São Paulo, capital, Paulo Rydlewski é bacharel em Composição e Regência pela UNESP e pós-graduado pela Academia Franz Liszt de Budapest, com Mestrado em Musicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Em diversos cursos realizados no Brasil e no exterior, estudou com mestres como Leonard Bernstein, John Cage, Peter Öetvös, György Kurtág e Eleazar de Carvalho.
Em 25 anos de atividade profissional, foi regente titular e diretor artístico de diversos grupos corais como o Coral da Fundação das Artes de São Caetano, Coral Municipal de São Caetano, Coral Santo Américo, Coral da Fundação Bradesco e o Coral da Unilever. Regente titular e diretor artístico das orquestras Camerata Santo Américo, da Orquestra Filarmônica de São Caetano, da Nova Filarmônica de São Paulo e da Orquestra Filarmônica de São Bernardo.

Atuou em mais de 1.000 concertos no Brasil, Itália, Hungria, Áustria e Inglaterra entre outros países. Realizou no Vaticano a estreia mundial da Missa Solene, do compositor Mário Ficarelli, para Sua Santidade, o Papa João Paulo II. Foi o primeiro maestro brasileiro a criar ações de contato direto com o público para a seleção de repertório e informações sobre a programação das orquestras.

É também compositor, arranjador, instrumentista e diretor musical tanto na área erudita como na popular e gravou 3 CDs  com obras inéditas de autores brasileiros.  Possui textos publicados em importantes revistas como “América” e  “Cultura” e é o autor de um estudo sobre Alberto Nepomuceno, publicado pela “Library of Congress”, a Biblioteca Nacional do Congresso Americano. Professor universitário há mais de 25 anos, atua na criação e desenvolvimento de projetos de educação musical para crianças e adolescentes. Desde 2010, é o Regente e Diretor Artístico do projeto “Orquestras Filarmônicas de Paraisópolis”.

 Títulos e Premiações:

1983 – “Menção Honrosa” de Departamento de Música do Instituto de Artes do Planalto – UNESP – por seu trabalho à frente da Orquestra de Alunos da UNESP.
1985 – Prêmio da “Associação Paulista de Críticos de Arte”.
1991 – Título de “Cidadão São-caetanense”, concedido pela Câmara de Vereadores de São Caetano do Sul, pelo trabalho realizado à frente da Orquestra Filarmônica de São Caetano.
2004 – Prêmio “Desempenho”, da Revista Livre Mercado e do jornal Diário Grande ABC pelo trabalho realizado à frente da Orquestra Filarmônica de São Bernardo.
2007 – Prêmio “Imortais In Vita” da Revista Livre Mercado e do jornal Diário Grande ABC na categoria “Empreendedor Cultural”.
2013 – Prêmio “Nova Paraisópolis de Responsabilidade Social” do Jornal Espaço do Povo de Paraisópolis.